Entrevista: professor conta sobre o Connecting Classrooms – Fase 1

Luciano A. Silva, participante do Connecting Classrooms


Direto do site do Instituto Crescer

O professor Luciano da Anunciação Silva é um dos participantes do Connecting Classrooms, uma iniciativa do Conselho Britânico e do Instituto Crescer. O programa de formação docente privilegia o multiculturalismo e a realização de projetos. Saiba mais nas palavras do participante nesta entrevista.

Professor de Língua Inglesa da Escola Municipal Israel Pinheiro e é responsável pelas turmas do Ensino Fundamental (7º ao 9º ano – Belo Horizonte/MG).

Como funciona o programa Connecting Classrooms e qual a sua importância para a educação brasileira?

O programa “Connecting Classrooms” é um programa de abrangência global cujo objetivo é promover o desenvolvimento de projetos colaborativos internacionais através da criação de parcerias entre grupos de escolas localizadas no Reino Unido e escolas de outras regiões do mundo. Essas parcerias têm a função de trazer uma dimensão internacional à aprendizagem dos alunos no ambiente da sala de aula, melhorar os seus conhecimentos e a compreensão de outras culturas. Para desenvolver esses projetos colaborativos, professores da rede pública e particular de ensino participaram, primeiramente, de um curso de formação de professores “Embaixadores” em Brasília promovido por três instituições, a saber: 1) Instituto Crescer para a Cidadania, 2) Escolas Irmãs (órgão do Governo Federal), 3) Conselho Britânico. Além da oferta de características internacionais à aprendizagem dos alunos, o programa oferece ainda desenvolvimento profissional para os professores envolvidos e reconhecimento internacional para as escolas, reforçando o tripé escola – professor – aluno.

Como o professor atua no programa? Como foi a sua participação no programa?

Para atuar no programa, o professor, primeiramente, participa de um curso de formação de professores “Embaixadores” onde recebe as principais informações para desenvolver projetos em suas escolas bem como informações para disseminar o trabalho em outras escolas. Nesse mesmo curso, o professor recebe ainda orientações para trabalhar em um ambiente virtual – conhecido por Connecting Classrooms on line. Esse ambiente virtual será o principal meio de comunicação entre as escolas no Brasil e as escolas parceiras no Reino Unido. É importante lembrar que os projetos e/ou atividades realizados nas escolas devem fazer parte do currículo escolar trabalhado durante o ano letivo. Até o presente momento, a minha participação no CCO foi muito ativa e colaborativa. Desde as primeiras interações sempre tentei manter contato diário tanto com os membros do meu grupo tanto com a Analista Sênior do Instituto Crescer – Débora Noemi Inouye – responsável pelas principais orientações e feedback dos trabalhos. Além disso, a minha facilidade e experiência para trabalhar no ambiente virtual aliada a facilidade de interagir em Inglês nesse mesmo ambiente contribuíram para que a minha participação fosse mais intensa. Dessa forma, foi possível desenvolver uma atividade que se mostrou muito significativa para os alunos que foram envolvidos.

Quais são as suas expectativas para o início dos projetos em parceria com as escolas britânicas?

As expectativas são as melhores possíveis. Espero trabalhar muito para desenvolver projetos e/ou atividades interessantes neste ano de 2011 em parceria com as escolas britânicas. Espero também que tanto os meus alunos quanto os alunos das outras escolas e sintam-se envolvidos e motivados e, ao mesmo tempo, sintam-se “atores principais” no processo de ensino – aprendizagem. Finalmente, espero aprender muito neste novo ano com as parcerias envolvidas e, assim, tentar colaborar para a melhoria da educação dos nossos alunos.

Qual o futuro de programas como o Connecting Classrooms e outras iniciativas semelhantes p/ a educação brasileira? O que podemos ver como tendências importantes na educação que temos que prestar atenção?

Acredito que tais programas podem contribuir para a melhoria da educação brasileira. Entretanto, é importante realizar um trabalho sério para orientar o professor, a escola, os alunos e os pais desses alunos acerca dos objetivos de programas como CC e outros. É importante também que os órgãos ou as instituições responsáveis pela formação de professores que atuarão nas escolas do nosso país ofereçam cursos de qualidade cujo objetivo é melhorar a qualidade da educação dos nossos alunos. Apesar de eu não me simpatizar muito com essa palavra no meio educacional, eu penso que a tendência ou as tendências importantes na educação referem-se a uma fórmula simples que se chama planejamento e investimento “pesado” em professores que atuam ou ainda em professores que atuarão nas de salas de aula do nosso país. Professores mais preparados sabem estudar, pesquisar e, posteriormente, encontrar soluções sobre essas tendências que devemos prestar atenção. Nesse sentido, o professor pesquisador sabe em quais aspectos deve focar sua atenção para tentar promover uma educação de qualidade e, ao mesmo tempo, motivar seus alunos. Finalmente, acredito que a sala de aula foi, é e sempre será a grande aliada para os primeiros passos rumo a uma educação com um mínimo de qualidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s