De Manaus para o mundo: professora conta como internacionalizar a sua escola

Escola Olga Falcone

Como trazer projetos internacionais para sua escola? A professora Raquel Leite Lira, da Escola Estadual Olga Falcone, conta sua experiência. Como envolver alunos, superar as dificuldades e implantar projetos com continuidade que sejam vitoriosos. Raquel e a equipe de alunos da escola realmente são vitoriosos, participando dos projetos do Schools Online trocaram conhecimentos com diversos países e ampliaram a experiência com projetos da escola..

Conheça a experiência da Escola Olga Falcone e veja fotos dos alunos que desenvolveram os projetos.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

O Connecting Classroms na escola pela professora Raquel Lira

Meu nome é Raquel Leite Lira, sou professora de Artes na Escola Estadual Olga Falcone, com turmas de Sexto ao Nono Ano do Ensino Fundamental. Trabalho com turmas de Sexto ao Nono Ano e turmas do Avançar (projeto que visa amenizar a distorção idade/série de estudantes do Ensino Fundamental).

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

O Projeto Connecting Classrooms hoje se encontra sedimentado não só na escola, mas na vida de todos os estudantes envolvidos. São muitos os fatores positivos adquiridos desde setembro de 2011: as atividades estimularam a pesquisa, valorizaram o aprendizado (não apenas da língua inglesa), o diálogo, a reflexão e o apoio mútuo entre os participantes, ampliando suas visões de mundo de todos. Os estudantes perceberam que as dificuldades existem e que é possível que algumas pareçam monstruosas ou desanimadoras, mas compreenderam que para superá-las é preciso compromisso, dedicação, organização e, principalmente, compreensão e sentir-se bem por participar para colaborar.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

A primeira etapa: vencendo desafios

A primeira etapa do projeto – iniciada em setembro de 2011 – foi desafiadora desde a simples ideia de formar as primeiras equipes de participantes. Os estudantes, até mesmo alguns colegas professores, perguntavam-me: “Mas o que eu vou ganhar participando disso?”. Ora, respondi, isto não é um concurso, é um projeto! Participe e aproveite a oportunidade de contribuir com o melhor de si. A maioria só direcionava seu olhar para o interesse: alunos que só pensavam em obter um ponto acrescido na nota bimestral, professores que só pensavam no trabalho extra… Era desanimador.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

Mesmo contra toda maioria interesseira, conseguimos formar nosso primeiro e pequeno grupo de estudantes . “Queridos, a partir de hoje deixamos de ser Escola Estadual Olga Falcone. Agora somos a “Escola ‘Internacional’ Olga Falcone”! Ainda lembro dos sorrisos. E não é que gostaram de se sentir internacionais? Daí pra frente, muito trabalho pela frente. Aprender a usar o computador, a escrever, ouvir e falar na língua inglesa… O movimento foi grande e muita confusão até que a base de trabalho e a divisão de tarefas estivesse definida. Foram para lan house quando a internet da escola não esteve disponível, providenciavam instrumentos, buscaram conhecimentos e se organizaram para conceder o tempo que fosse preciso para cumprir os objetivos do projeto. Até hoje atribuo honras e agradecimentos aos nossos precursores do projeto CC.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

O segundo maior desafio e talvez a mais dolorosa experiência foi a falta de reconhecimento do presencialmente mais próximo de nós. Sentimos de perto a presença do Bullying querendo desestabilizar nossa mente. Isso quase nos abateu. O que não permitiu ceder ao desencanto foi a lembrança feliz das palavras de elogio, saber que alguém reconhece comentou sobre o nosso trabalho lá na plataforma. Se na escola são indiferentes ou severamente críticos quanto à nossa produtividade, temos um mundo que nos nota, temos a nós que nos respeitamos! Hoje em dia o Bullying não nos assombra mais. A atmosfera de auto-confiança ampliou com a união, pois o aperfeiçoamento também foi levada mais à sério. Só era despreparo, só isso. Sabemos que nem tudo se pode conseguir realizar sozinho, mas muita coisa pode ser bem feita se trabalharmos ou não nos sentirmos sozinhos. Então fortalecemos mais os laços e isto nos fez positivamente distintos.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

Segunda etapa do projeto: nova equipe e amadurecimento

Na segunda etapa do projeto, uma nova equipe foi formada. Os antecessores permaneceram, mas preferiram fazer a base de produção. Dobramos em número: éramos 10, depois 20; de repente já somamos 31! Mas ainda tínhamos limitações técnicas, por isso começamos a nos movimentar e buscar parcerias. E conseguimos apoio de comerciantes locais, de prestadores de serviços e também de outros projetos presentes na nossa escola.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

A novidade, além dos novos projetos, era que haviam integrantes bem novos, mesmo! Mas que bom que a união novamente fez a força e que tudo deu certo! É claro que os pequenos criaram seu subgrupo. E, entre estes mais novos, uma aluna especial, surda, que fala em LIBRAS. A linguagem dos sinais foi basicamente compartilhada e hoje ela relaciona-se satisfatoriamente conosco. Quem domina melhor a linguagem dos sinais são eles, os menores.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

A segunda etapa do projeto foi muito mais prazerosa, pois percebemos o quão amadurecemos depois da primeira fase. Agora já temos recursos próprios, já sabemos nossas limitações e possibilidades. E já conseguimos ir além. Exemplo disso foi o que ocorreu no encerramento do projeto “Grandes Personalidades”, quando a equipe CC homenageou uma Organização Não-Governamental que salva animais urbanos. Conseguimos envolver não só nossa comunidade, mas também a sociedade! E falamos em inglês! E mesmo com alguns atropelos, o que foi notado foi o nosso ideal! Nós conseguimos transformar socialmente, conseguimos trazer notoriedade para o nosso projeto! Recebemos elogios que nos emocionaram! É um prazer indescritível o reconhecimento!

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

Cinco projetos já foram desenvolvidos pela Equipe Connecting Classrooms Amazonas:

Projetos Número de
alunos
Jovens Embaixadores 6
Paradas de Sucesso 4
Descubra o cozinheiro que há em
você
10
Grandes Personalidades 5
Blog diário 6
Total de alunos que lideram
esses projetos
31

Contamos com 20 colaboradores no nosso projeto e temos 06 mais participativas. Algumas pessoas participaram das atividades do projeto CC sem assumir um compromisso formal conosco porque optaram dedicar-se a outro projeto. Mas é muito bom saber que podemos contar com elas, caso estejam disponíveis. Também estamos aqui para contribuir, caso precisem e nos seja possível retribuir. É uma honra viver para servir!

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

A Escola Estadual Olga Falcone está localizada na Rua Theóphilo de Matos, 79, Conjunto Santos Dumont, em Manaus-AM. Seu CEP 69049-140. Possui dezessete salas-de-aula, climatizadas, sala de vídeo, sala de informática, é ampla e em breve terá quadra de esportes. Desenvolve projetos razoáveis e o CC integrou-se a eles, somando resultados significativos.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

Balanço dos resultados: redescobrindo o significado da educação

Sempre digo que estes resultados significativos que obtemos são, na verdade, re-significativos. Noto que os estudantes envolvidos nos projetos do CC conseguem perceber que são agentes transformadores desta sociedade. Através das atividades inteligentes, construtivas e divertidas do projeto CC, os estudantes encontraram espaço para contribuir e se fazer notar em suas habilidades. Vibram quando conquistam a superação de um desafio, percebem o valor da reflexão, da união e da ação e, entre eles mesmos, revisam o valor da boa amizade e o quanto ela pode acrescentar na vida.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

As adversidades, principalmente as educacionais, são capazes de nos enfraquecer. A única maneira de nos fortalecermos é nos reorganizando por dentro, buscando novos instrumentos de trabalho, aprendendo com o novo e com o outro e revisando sempre os conceitos que nos regem para depois refletirmos sobre os valores que configuram a nossa atualidade.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

Participantes dos projetos internacionais. Clique para ver em detalhe.

Aguardamos a terceira etapa. Estamos mais seguros,tranquilos e felizes. Obrigada, Schools On Line por esta oportunidade!

Best Regards!
Raquel Lira

Enquete feita com Alanis Castilho, estudante do Projeto Avançar – Fase 4 / Turma 5 

1. O que você achou mais interessante no projeto?

* A dedicação da minha professora e os nossos colegas de equipe .

2. Você sente que o projeto traz algum resultado para sua vida?

* Sim, ele nós dá s chance de nós mostrarmos à outras pessoas o quanto o projeto faz parte da nossa responsabilidade no dia-a-dia .

3. Que dificuldades você encontrou ao realizar o projeto?

* Até agora nenhuma , porque trabalhamos sempre em equipes e temos ajuda de nossos familiares em casa .

4. Como você resolveu suas dificuldades no projeto?

* Pela minha capacidade e também com ajuda dos meus colegas de equipe

5. Com quais países você trocou experiência?

* Reino Unido, Suíça, Itália, Rússia, Índia, Afeganistão, Tailândia, China e Brasil.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s